sábado, 21 de maio de 2011

A beleza da vida na maturidade.

[...] Nesse momento, apareceu uma velhinha dançando feliz da vida com sua bengala. Era a senhora em cima da qual Bartolomeu caíra. Seu nome era Jurema. Tinha oitenta anos bem vividos. Quem imaginou que ela estava capengando pelos ditosos anos se enganara. Estava em melhor forma que eu. Saúde ótima, a não ser por leves sintomas do mal de Alzheimer. Sabia dançar como raras pessoas.

O vendedor de sonhos se encantou com ela. Dançaram juntos. Eu esfregava os olhos para ver se tudo era real.

De repente, ela se desfez dos braços do mestre e topou com Bartolomeu no centro da roda. Deu-lhe uma bengalada na cabeça, mas com suavidade, e novamente lhe disse:

- Seu tarado. – Não me agüentei. Morri de rir. Ela fez o que eu gostaria de ser feito quando ele me deu um ósculo malcheiroso no rosto.

O mestre voltou-se para a velhinha e, em vez de repreendê-la, gritou:

- Você é linda! – E, tomando-a agora pela cintura, rodopiou-a. A velhinha recebeu uma carga de adrenalina que a fez se sentir com vinte anos.

Por instantes achei que o vendedor de sonhos estava sendo falso. Ma refleti: quem disse que ela não é maravilhosa? O que é ser bonita? Enquanto ponderava, o alcoólatra, esperto que era, vendo que o elogio funcionava, chegou perto da sua agressora e bradou exageros:

- Linda! Maravilhosa! Delirante amável! Admirável!

Pensando estar abafando, recebeu outra bengalada da velhota.

- Tarado inveterado! Conquistador barato! Cachorro compulsivo! – disse ela, aparentando raiva. Bartolomeu enfiou o rabo entre as pernas. Mas em seguida percebeu que ela estava brincando. Derreteu-se. Fazia cinqüenta anos que não a chamavam de linda nem utilizavam com ela adjetivos superlativos.
Animadíssima, tomou o bêbado pelos braços e saiu dançando com ele, feliz da vida. Fiquei impressionado; conhecia o poder da crítica, mas desconhecia o poder do elogio. Será que os que usam esse poder corrigem mais, vivem mais e melhor?





O vendedor de sonhos – O chamado. (Augusto Cury)

13 comentários:

A beleza é uma ciência (http://quantotempootempotem.blogspot.com) disse...

Oie
lindo seu blog
Te convido a conhecer o meu cantinho. E Seguir c quiser.
quantotempootempotem.blogspot.com
Já estou t seguindo.
Beijos e ótima semana

Mari M. disse...

oooooooooooooooooooooooooooooooooounti *-*
Que lindo amiga :)
Será que os que usam esse poder corrigem mais, vivem mais e melhor?
Nós vamos chegar nos nossos 80 anos com a vivacidade dessa senhora. oeieieieioeioe
eu te amo, sabia ?!

Diego Fontes disse...

quero ficar velho e viver bem e feliz, mas não como a senhora da primeira imagem. #euri

★★ GIZA ★★ disse...

olá minha doce amiga!!!
a verdadeira idade está na alma!!!
te gosto muito!!!
visite meu novo cantinho:
http://aloneinthedark30.blogspot.com/
beijos

★★ GIZA ★★ disse...

ÓTIMA POSTAGEM!!!!
TEM SELINHO NO BLOG PARA VOCÊ:
http://amorimortall.blogspot.com/2011/05/selinhos_24.html
ESPERO QUE GOSTE DO PRESENTE!!!
BEIJOS

Rubi disse...

Há tempos que não passava aqui!
Me encantei com o texto, simplesmente maravilhoso.

Matheus disse...

Obrigado pelo comentário...... eu não quero ser velho acho que a vida piora muito quando é velho..... espere que demore eras e eras.... milênios e milênios e anos luz para eu ficar....!

Ana disse...

Oi, Lane! :)
Esse livro parece ser muito bom! Não li nada do Augusto Cury ainda.
Sim, eu acho que o elogio tem um poder especial. :D

Bjs ;)

Roberta Fernandes disse...

lindaaa

ameiii

หคтнყ disse...

Haaa que fofis! *--*
Não sei o pq, mas acho que lindinhos esses velhinhos com cabelo branco. Espero um dia ficar assim tbm.Isso é uma prova que vivi.

Bju
http://nathydorgas.blogspot.com/

★★ GIZA ★★ disse...

OI MINHA LINDA AMIGA!!!!!!
PASSANDO PARA LHE DESEJAR UM DOMINGO CHEIO DE PAZ E ALEGRIAS!!!!!
BEIJOS DE QUEM TE ADORA E ADMIRA MUITO!!!
WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM

Aline Daiane. disse...

É muito bom esse livro, recomendo ele *-*
oouwn, espero também ter a oportunidade de ficar velhinha, pois como comentarem ai em cima, isso é a prova de que vivi, e quero também poder contar quantas vezes puder todas as historias que vivi e que ainda vou viver *-*
e sobre essa frase: "conhecia o poder da crítica, mas desconhecia o poder do elogio." é tão gratificante fazer um elogio e receber um sorriso *-* mas pena que hoje em dia, as pessoas não conhecem mais o poder que o elogio tem em mudar um dia!

Gothic Owl disse...

Lindo o texto, adoro Cury!

-Já está participando do sorteio lá no blog?
gothicowl.blogspot.com

Postar um comentário